08 maio, 2011

O dia do casamento

Tudo deveria começar pelo casamento. As pessoas se conhecem, se encantam, se apaixonam e com duas semanas se casam. Se casam antes de conhecer os piores defeitos, antes de saber o prato preferido. Se casam antes das primeiras crises, se casam antes de conhecer cada canto do corpo. Se casam antes da primeira ressaca juntos, antes de descobrir todas as manias. 

Se casam quando estão apaixonados, quando preferem dividir o chuveiro, se casam quando passam o final de semana todo juntos debaixo de um edredon. Se casam quando fazer amor é ainda um ritual lento de conquista, que começa naquele telefonema para marcar o jantar. Antes disso, preciso comprar um vestido. Se casam quando os beijos ainda tiram o fôlego, quando o dia demora pra passar. Se casam quando pensam em enfrentar o mundo juntos, quando querem tudo, e até o menor dos eventos é um festival.

Se casam quando ainda dormem enroscados, cheirando o cabelo um do outro, quando o toque das mãos nas costas ainda arrepia, quando o coração ainda está vulnerável e desarmado. E que fraqueza tão boa.  Se casam quando ainda existe todo o encanto do primeiro encontro, quando o começo é de fato o começo e o amor não dá descanso. Se casam.

Se casam no momento certo, da forma como deveriam ser todos os casamentos, como uma junção de duas pessoas tão apaixonadas que, de loucas, não enxergam o mundo, ou a consequência das suas paixões. Mesmo que depois se separassem, mesmo que depois o amor acabasse, mas que não acabasse depois de anos de relacionamento.

Mas tudo não começa pelo casamento. O casamento é a última instância, o último passo, a última medida diante de anos de um namoro desbotado. Raros são os que se casam realmente apaixonados. A maioria se arrasta num relacionamento apagado, esperando só o bendito dia do casamento para dar fim ao enfado. 

Quando o coração já não vê tão bem o outro, quando os corpos já estão cansados de se conhecer, quando dormir junto é dormir separado no mesmo metro quadrado, quando já se conhecem todos os passos, quando os defeitos, antes tão raros, são exatos, quando os sonhos não saem mais do travesseiro, quando enfrentar o mundo significa apenas mais um dia de trabalho, quando não existem mais desculpas fiadas, quando não existe mais saudade, só costume, quando não existe mais o que postergar. Eles se casam.

Vão dividir o mesmo teto, enfim, e uma equação subtraída dos melhores momentos, aqueles do começo, aqueles mais intensos, aqueles que fazem ter vontade de casar, aqueles dos primeiros passos.

11 comentários:

  1. meudeus, que texto deprê! tô arrasada :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ai verdade,lendo isso ninguem casa hehe

      Eliminar
  2. Não que eu vá casar agora. Mas, você tirou meus pensamentos dessas últimas semana. E não tem sido fácil. =/
    Parabéns pelo blog :)

    ResponderEliminar
  3. Ontem eu e meu marido completamos 11 anos de namoro. Nós dois, que casamos já xim quase 6 anos juntos.
    Fico muito feliz por me fazer pensar e perceber que o toque das mãos deles em minhas costas, pés, pescoço e mãos ainda me arrepiam. Porque foi ficar um final de semana todo em baixo de um edredom o que escolhemos fazer para comemorar este tempo todo juntos. Porque, por mais corrida e separada possa ser nossas rotinas, só de saber que eu vou viajar e ficar alguns dias longe já me deixam borocoxô. Porque eu ainda olho ele entrando num ambiente suspirando por achá-ló tão lindo.
    Diamantes que nós temos, mas nem sempre apreciamos.
    Hoje eu não tô nem aí, vou usar meus diamantes pela rua e sorrir.

    ResponderEliminar
  4. o pior que na maioria isso acontece mesmo e é tão triste :/
    mas sei o quanto eu amo meu marido, mesmo casando com ele apos 9 anos e não casei antes, pois não tinhamos onde morar e morar com a sogra desculpem mais é o oh.. hahahha
    mais o texto é lindo cah... :D

    ResponderEliminar
  5. Conheci Fabíola em um sábado de abril, nos casamos em uma quarta-feira de novembro e nos casamos de novo em um sábado no mês passado. 12 meses e 13 dias depois do primeiro beijo, nos beijamos na frente de um padre. Não sei nada da vida, nem se foi melhor assim ou assado, mas de uma coisa eu tenho certeza, em um relacionamento, todos são responsáveis pelo sucesso ou fracasso. Se o seu amor desbotou, mande para a tinturaria ou arrume outro. Defina claramente o que você quer. Quer namorar, namore. Quer casar, diga sim. Quer ficar só, diga não. Nós temos essa escolha. Casamento sem amor é só uma festa cara, muitas vezes brega e sem sentido.

    ResponderEliminar
  6. Mto interessante o texto carol, nunca tinha parado p olhar as coisas ao contrário como vc mostrou.
    concordo plenamente com o q vc disse... parece até q o casamento é o fardo q uma relação sem sucesso tem q carregar. Mas ainda bem q podemos sempre acreditar no amor ne? bjaooo

    ResponderEliminar
  7. Entre beijos, abraços, carinhos e corpo,
    As pessoas se esquecem.
    Que se casa,
    Mais que a pele,
    E que almas não envelhecem.

    É o que acho. :)
    adoreioblog.

    ResponderEliminar
  8. Meu par me pediu em casamento praticamente depois do primeiro beijo. Acho que casei com ele no momento em que o vi pela primeira vez.
    Não assinamos papéis, não pensamos nisso.Queria simplesmente que ele fosse minha última visão antes de adormecer e a primeira, ao despertar.
    Não sei se vai mudar, também não pensamos nisso.
    Penso apenas que sou abençoada, pois eu o tenho hoje e o amo.
    Com ele sou melhor,mais feliz.

    belos textos!
    um abraço!

    ResponderEliminar
  9. Engraçado isso, porque eu sempre achei que nunca me casaria...depois conheci uma pessoa que nos mesmo dia que ficamos ele disse que seria pra sempre...acreditei...pensei porque não?!
    Melhor que seja assim ir conhecendo o outro qnd já vive com ele...arrastar um namoro por longos anos e conhecer os defeitos do outro...acho que nunca casaria mesmo...então venho conhecendo ele desde desse dia e estamos a 4 anos nos conhecendo...mas com tudo juntos os defeitos e as qualidades...e tem dado certo!

    ResponderEliminar